Siga a HBR Brasil

Harvard Business School Club of Brazil

Janeiro 2014

Seg, 12/23/2013 - 13:45

Nesta edição

Edição - Janeiro 2014

Carta do editor:

Quem pode realmente adotar ações de curto prazo?

 

É quase um ato de fé: o mundo seria um lugar melhor se os empreendedores parassem de pensar tanto em resultados a curto prazo e focassem mais no longo prazo. No entanto, observa-se que é praticamente impossível mudar esse comportamento. A ideia é clara, mas os sistemas de incentivo vigentes em muitas empresas restringem os esforços para atingi-los.

Dominic Barton, diretor global da McKinsey & Company, expôs a ideia num artigo da HBR em 2011, no qual convocava líderes empresariais a reformar o sistema capitalista lutando contra a “ditadura do curto prazo”. Ele elogiou empresas como Unilever e Ford, que atualmente não se preocupam muito com os acionistas de curto prazo. As ideias de Barton não eram novas, mas vindo do diretor da McKinsey elas desequilibraram expressivamente o debate, favorecendo os negócios.

Apesar da proliferação desse pensamento, a situação pode, na verdade, estar piorando. Por isso Barton retoma o assunto mais veementemente neste mês, num artigo em coautoria com Mark Wiseman, diretor-presidente da Agência de Investimentos de Planos de Pensão do Canadá (“O capital de longo prazo”, página 18).

Os autores admitem que não é realista esperar que a maioria dos CEOs de empresas de capital aberto ignorem a pressão do curto prazo nos mercados financeiros. A única forma de acelerar uma mudança significativa, argumentam, é atrair para a causa, fundos de pensão, fundos mútuos e outros grandes investidores. Se esses investidores adotarem estratégias que visem maximizar resultados de longo prazo, outras peças importantes — administradores de ativos, conselhos corporativos e executivos de empresas — provavelmente o seguirão.

“A melhor forma de dinamizar esse debate é passar das ideias para a ação”, sugerem Barton e Wiseman, “é atrair pessoas que fornecem o combustível essencial ao capitalismo — os maiores proprietários de ativos do mundo”.

 

Adi Ignatius, editor-chefe

 


Janeiro 2014

Fevereiro 2014

Março 2014

Abril 2014

Maio 2014

Junho 2014

Julho 2014

Agosto 2014

Setembro 2014

Outubro 2014

Novembro 2014

Dezembro 2014

 

Foco

Cultura de ajuda da Ideo

por:
  • Colin M. Fisher
  • Julianna Pillemer
  • Teresa M. Amabile

Foco

Criando uma estratégia de talentos para mudar o jogo

por:
  • Douglas A. Ready
  • Linda A. Hill
  • Robert Thomas

Foco

Como a Netflix reinventou o RH

por:
  • Patty McCord

Defenda seu Estudo

Para aumentar a produtividade, deixe que mais funcionários trabalhem em casa

por:
  • Nicholas Bloom

Campo de Visão

Uma classificação da inovação

por:

Coluna I

A verdade sobre o envelhecimento de populações

por:
  • Wolfgang Lutz

A grande ideia

Focando o capital no longo prazo

por:
  • Dominic Barton
  • Mark Wiseman

Artigo

A grande mentira do planejamento estratégico

por:
  • Roger L. Martin

Artigo

Novos padrões da inovação

por:
  • David Cohn
  • David Gann
  • Ian Mackenzie
  • Rashik Parmar

Como eu fiz

CEO da SodaStream conta como transformou um anúncio vetado no Super Bowl em ouro de marketing

por:

Globo

As novas regras da globalização

por:
  • Ian Bremmer

Experiência

Como preparar-se para a crítica

por:
  • Douglas Stone
  • Sheila Heen

Caso HBR - Na íntegra

Uma cultura forte pode ser forte demais?

por:
  • David A. Garvin
  • Rachna Tahilyani

De corpo e alma

Alison Beard entrevista Salman Khan

por:
  • Alison Beard